Matérias

Discussão: Minhas regras dos meus relacionamentos fetichistas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Olá!

Vivi muita coisa no mundo do fetiche e por conta disso criei minha regras particulares, e por elas eu vivo. Lógico que sendo um relacionamento fetichista temos que seguir o SSC (São, Seguro e Consensual), mas eu criei as minhas regras baseadas no que aprendi e nos meus princípios. Elas podem ser usadas em todo tipo de relacionamento inclusive nos não fetichistas. Mas são minhas regras, a pessoa segue se achar que são úteis.

1º – Só existe um motivo que justifica a entrega que se vive no Fetichismo (principalmente no BDSM) que para mim e é o AMOR, (mútuo e próprio). Por que?

Porque se, por exemplo, uma submissa não amar de verdade seu dono, como vai se entregar verdadeiramente sem limites? E se um dono não amar de verdade sua submissa, como vai cuidar dela para que não estrague seu brinquedo? E quando isto não ocorre, a pessoa se estraga e é abandonada. E sem amor próprio, a pessoa não tem como viver consigo mesma, quanto mais viver com alguém ou para alguém.

2° – Se existe um motivo, tem de existir um propósito em se viver o BDSM, e esse propósito, é ser mais feliz e dar o melhor para ambos. Por que?

Bom, tem Dom que usa a submissa como brinquedo mesmo e submissas que amam e se deixam usar, mas se isso não trouxer nada de bom, então para que? Só por tesão? Isso costuma se esvaziar rápido e o relacionamento também. Outra coisa é que, se não se cuidam, acabam se estragando e ai alguém acaba dando um basta para sempre.

Se a relação não estiver fazendo bem para ambos, melhor nem ficar junto, por que acaba se tornando um masoquismo psicológico, ai as feridas são bem piores e não saram fácil. Tem gente que é doente e não quer o melhor para si. Se encontrar alguém assim, evite!

Apesar que nenhum relacionamento realmente intenso só apenas benéfico em todos os momentos. Eles costumam ser bons em maior parte dos momentos e ter alguns momentos ruins, porem na média tem de ter mais momentos bons que ruins ou que se compensem.

3° – Eu não engano, nem faço mal a quem está comigo e nem admito que quem esteja comigo faça o mesmo. Por que?

É um principio cristão básico, “Não faça aos outros o que não deseja para si”. Todas as religiões ensinam que o que vai, volta! E volta mesmo.

Bem, com tudo isso, aprendi que ao viver por estes princípios, as coisas dão certo mesmo. Todas as vezes em que não segui isso, só causei sofrimento e tudo deu errado. Por isso mesmo passo isso aqui para que as pessoas pensem muito bem. Quem sabe isso faça alguém não cometer os mesmo erros que cometi, e isso já seria algo bom.

 

Saudações,

O Motorista

Recomendamos também