Matérias

Fetiches: BDSM – M de Masoquismo.

 

 

 

 

 

 

 

 

O masoquismo é uma das práticas mais controversas do BDSM. Quem leu o post sobre Sadismo, já tem a noção de que para existir um Sádico tem de haver um Masoquista. Porém, vou começar a confundir vocês.

Na realidade, para se ter um Masoquista não há necessidade da existência de um Sádico. O termo Masoquista se refere àquele indivíduo que tem prazer na própria dor. O nome é inspirado nas histórias do escritor austríaco Leopold Ritter von Sacher-Masoch.

Principais dúvidas:

1° A dor dá prazer?

Sim, dá. Quem já pediu um tapa na hora do sexo, sabe bem disso. Ela pode intensificar o prazer sexual ou gerar um outro tipo de prazer diferente.

2° É só chegar batendo?

Não! O ideal é fazer a pessoa entrar no clima e chegar ao orgasmo. O segredo para se fazer isso é criar uma situação em que a pessoa praticamente separa o prazer do corpo  e o leva para a cabeça. Ou seja, é um crescente criado pelo clima e pela técnica certa. Começa com o aquecimento preparando o corpo. Tudo isso garante um clima a mais para que a pessoa atinja o clímax. Por isso, quando as pessoas estão no meio do sexo selvagem, elas pedem um tapa, intensificando o prazer. A pessoa já está tão envolvida que parte para a  busca desesperada disto.

É bom enfatizar que BDSM sério é feito com base na regra do Consenso. Então, em primeiro  lugar, a pessoa precisa estar sã. Nunca  faça uma sessão com alguém que bebeu ou alguém que esteja alterado psiquicamente. Tudo isso porque a pessoa pode se machucar sem perceber. Tudo deve ser acordado antes, pois as coisas vão acontecer dentro de limites. Combine uma palavra de segurança e não faça nada por impulso.

3° O que separa o Masoquismo da doença?

A regra do consenso é um cuidado muito grande que deve ser tomado. Existem os motivos certos e os errados para o masoquismo. Os certos são:

Tesão – A pessoa faz porque gosta da sensação erótica do Spanking (apanhar) e o orgasmo do Subspace (clímax) é gostoso para a pessoa. Porém, ela não dispensa o prazer erótico normal e nem o troca por esse exclusivamente.

Amor – A pessoa gosta de sentir a dor como prova de entrega do outro, além de sentir depois do ato o ardido no corpo como lembrança do outro. Conheci muita gente que se maravilha nisso, o que considero algo muito legal. Uma comparação seria uma pessoa que gosta de sair do sexo com o perfume da pessoa amada.

Prova – Algumas pessoas, principalmente homens submissos, gostam de mostrar que são fortes, aguentando grandes quantidades de dor e castigo. É algo válido desde que a pessoa conheça seus limites e não os ultrapasse, pois às vezes o clima de competição cria acidentes. Tenha sempre cuidado.

 

 

Vamos a parte errada do masoquismo:

Culpa ou Traumas Anteriores – Algumas pessoas se machucam e às vezes nem é em sessão. É comum submissas que se cortam sozinhas ou se machuquem de alguma forma. A auto mutilação é comum, por isso nem sempre existe um Sádico, mas sempre há um Masoquista onde há a dor.Um bom exemplo é mostrado no filme Secretária, onde a personagem principal se cortava até o seu Dom explicar para ela porque ela se cortava: “Você se corta porque tem uma dor tão grande por dentro de você que quando se corta e cura a ferida, parece estar curando a dor interna que aflorou…”. Ele a proíbe e eles passam a fazer apenas de maneira erótica.

Isto é  algo com que se tem de tomar muito cuidado. O motivo pelo qual a pessoa quer se submeter ou receber castigo tem de ser algo saudável e dentro relacionamento, não coisas de fora que não podem ser resolvidas pelos dois. Nesses casos, tem de ser resolvido por ajuda profissional. Procure ajuda.

Vício em dor – Algumas pessoas não têm prazer no sexo normal ou ele é  muito menor que o orgasmo com a Dor. Em alguns casos, a pessoa não sente prazer em mais nada, sendo puramente masoquista. Nesses casos, é aconselhável que a pessoa não se jogue no masoquismo com tanta vontade. Também  é bom analisar o porque isto ocorre.

Nestes casos, quase sempre existe algum trauma que precisa ser analisado. É muito importante a pessoa procurar fazer terapia para resolver isso. A dor pode causar danos permanentes à pessoa e a não percepção disso é perigoso, pois como todo vicio a pessoa não tem controle sobre ele. Esta pessoa é na verdade um masoquista viciado que provoca o Top para apanhar muito mais.

Masoquismo emocional – Muitas pessoas vivem o masoquismo emocional, onde elas querem ser machucadas no seu âmago, chorar e ser maltratadas e humilhadas o tempo todo. Esse tipo de pessoa realmente precisa de ajuda psicológica urgente, porque na maioria das vezes ela não tem auto estima, buscando no corpo as marcas do que tem por dentro, o que pode gerar acidentes graves.

Esses são os motivos em que o masoquismo é doença e não fetiche. Mas as pessoas tem seu próprio gosto e fazem as coisas pelo motivo que acham convir a si mesmo, no final das contas…

Eu tento ser a pessoa mais saudável possível e prego o mesmo as pessoas. Afinal, vivemos algo extremo e temos de tomar cuidado, sempre seguindo a regra do consenso e sempre fazendo as coisas pelos motivos verdadeiros e certos.

Algumas práticas que um masoquista adora e que vale a pena pesquisar sobre: spanking, agulhas, velas, clamps (pregadores nos seios e no sexo), eletro choque, etc.

 

Abraço,

O Motorista

Recomendamos também